“Water Cube”

A História

Ao longo da história dos Jogos Olímpicos tem-se observado uma crescente modernização das infra-estruturas que os acolhem. Deste modo, o ramo da engenharia tem assumido, cada vez mais, um papel preponderante.
As Olimpíadas de 1992 realizadas em Barcelona, usufruíram de um parque aquático que transformava a própria cidade em cenário. Em Sydney 2000, de  um estádio que captava água da chuva e em Atenas 2004, de uma pira olímpica que se baixava para colher o fogo das mãos de um atleta. E em Pequim 2008?

A capital do país mais populoso do mundo, com orçamento de primeiro mundo e problemas de terceiro, apresentou um dos projectos mais espectaculares já realizados em toda a história olímpica. Um parque sobre uma reserva ambiental, com um lago abastecido através de um sistema de reaproveitamento de água das chuvas, e duas  obras monumentais: o Centro Nacional de Natação e o Estádio Nacional.

Estado Nacional e Centro Nacional de Natação "WaterCube"
Estado Nacional e Centro Nacional de Natação “WaterCube”

Uma vez que o nosso trabalho se foca na construção da maquete “WaterCube” é sobre este grandioso edifício que nos vamos incidir.

Aqui deixámos um vídeo virtual onde podem ver a beleza desta obra tanto exterior como interiormente.

A Estrutura

Numa cidade como Pequim, a água é de tal forma importante, que ter um contacto permanente com ela se torna um luxo. O Centro de Natação transcende a sua funcionalidade de local para a realização de provas desportivas. Todo o edifício foi desenhado para actuar como uma estufa, absorvendo radiação solar e evitando perda de calor. O princípio é o de capturar a radiação solar na área do edifício onde ela é mais necessária, ou seja,  em volta da piscina, e mantê-la ali. A massa térmica do betão e da água absorvem e irradiam de volta esse calor à noite. Para chegar ao equilíbrio correcto, a fachada tem três modos de operação para responder às diferentes necessidades sazonais – Verão, Inverno e meia estação. As fachadas claras e translúcidas permitirão altos níveis de luz diurna, o que evita o uso de iluminação artificial durante o dia. À noite, o edifício brilhará para destacar as suas actividades.

Efeito Luminoso no "WaterCube"
Efeito Luminoso no “WaterCube”
Ligados sob o solo, os fossos e tanques servem como recolha, filtro e sistema de reciclagem para economizar água e alcançar o objectivo das “Olimpíadas Verdes”.
A estrutura do Centro Nacional de Natação foi baseada na subdivisão mais eficiente do espaço tridimensional. Feitas de uma espécie de teflon, as bolhas formam o elemento estrutural do prédio, sem a necessidade de pilares ou apoios. Lá dentro existem cinco piscinas, uma com ondas, e bancadas para 17 mil pessoas. Essa “parede” de bolhas, além de deixar passar a luz, retém cerca de 90% do calor do sol, que será usado para aquecer as piscinas.
Estrutura tridimensional do "WaterCube"

Estrutura tridimensional do "WaterCube"

Curiosidades sobre o “WaterCube”

  • Esta obra de engenharia foi eleita em 2006 pela revista “Popular Science” como uma das 100 melhores obras de ciência e tecnologia do mundo, o que se veio a confirmar 2 anos depois, ao tornar-se a grande estrela dos Jogos Olímpicos Beijing 2008.

  • O Centro Aquático Nacional com uma capacidade para 17 mil pessoas custou ao governo chinês nada mais nada menos que 136 milhões de euros.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: